terça-feira, abril 25, 2006

ABRIL

Havia uma lua de prata e sangue
em cada mão.

Era Abril.

Havia um vento
que empurrava o nosso olhar
e um momento de água clara a escorrer
pelo rosto de mães cansadas.

Era Abril
que descia aos tropeções
as ladeiras da cidade.

Abril
tingindo de perfume
os hospitais
e colando um verso branco em cada farda.

Era Abril
o mês imprescindível que trazia
um sonho de bagos de romã
e o ar
a saber a framboesas.

Abril
um mês de flores concretas
colocadas na espoleta do desejo
flores pesadas de seiva e cânticos azuis
um mês de flores
um dia
um mar de flores
um mês.

Havia barcos a voltar
de parte nenhuma
em Abril
e homens que escavavam a terra
em busca da vertical.

O nosso lar passou a ser a rua
nesse mês sem sono.

Era Abril
e eu soltei o sumo
da palavras
e vi
dicionários a voar
nesse mês
e mulheres que se despiam abraçando
a pele das oliveiras.

Era Abril
que veio
que ardeu
e que partiu.

Abril
que deixou sementes prateadas
germinando longamente
no olhar dos meninos por haver.


José Fanha, in "Tempo Azul"

10 Comments:

At 12:46 da tarde, Blogger lena said...

hoje chorei, não só por Abril, mas porque "ouvi" a tua voz dizer Abril, essa voz que tão bem sabe dizer poesia, a voz que ainda tenho gravada nos poemas ditos por ti de Manuel Alegre e de tantos outros, que te ouvi dizer ao vivo

hoje chorei, porque não posso ir à rua "gritar" Abril mas senti aqui na tua poesia a chave que abriu Abril

é o meu único comentário e teve que ser para alguém que me fez saborear o sumo que Abril tem

deixo um abraço

 
At 1:09 da tarde, Blogger Xein said...

LINDO!!! Que bom que é encontrar quem tanto se admira por estes mundos... :)

 
At 5:02 da tarde, Blogger Teresa David said...

Hoje dia 25 de Abril, sem sair de casa, estou a comemorá-lo navegando pelos blogs, que tão bem como o seu, o homenageia, é uma forma de caminhar por palavras e afinidades, pois para mim esse dia será sempre um marco que nunca esquecerei, e manterei vivo na prática diária da minha vida.
Um abraço
Teresa David
http://teresadavid.blogspot.com

 
At 8:00 da tarde, Blogger AS said...

Deixo-te um abraço fraterno e um cravo vermelho!...

25 DE ABRIL... SEMPRE!!!

 
At 11:09 da tarde, Blogger Henrique Doria said...

Viva Abril, José Fanha. Foi bom descobrir o teu blog.Serei tua visita.Espero que tão passes pela minha casa, o odisseus.blogs.sapo.pt ( não o se-if, um excelente blog a que não tenho dado colaboração.

 
At 12:05 da manhã, Blogger Papoila_Rubra said...

Hoje
quero encher de mimos
cada homem
cada mulher
dos que lembram o ABRIL
que se quer VIVO…

Pousa a cabeça no meu colo
deixa que te acaricie o cabelo
deixa encher-te de beijos
deixa que te segrede
que a esperança ainda não morreu
e que os nossos corações
continuam a bater… FORTE!!

Sente o meu
porque eu
eu SINTO o TEU…

 
At 1:19 da tarde, Blogger antonior said...

As palavras que constroem a tua poesia deixam-me no peito o perfume adocicado, de travo salgado, que as recordações do que se perdeu entregam ao que se pode prometer....

 
At 4:27 da tarde, Blogger Isabel José António said...

Querido amigo JosÉ Fanha,

Falei contigo no encontro de Blogs em Santarém. Cheguei a tocar viola para cantar "Amigo maior que o pensamento" de José Afonso.

Finalmente descobri o teu blog.

Queria dar-te um abraço porque trago o mês de Abril a voar dentro do peito.

Era de madrugada e vieram
Determinados para mudar Portugal
Traziam a esperança e olharam
Para aquilo que era fundamental

A liberdade impuseram
Sem licença a ninguém pedir
E as rua partilharam
Com milhares de flores a forir

E na vaga que então se formou
Deram-se todos à vida
Se houve alguém que se enganou
Foi apenas na medida

Os que Abril fizeram murchar
Não se enganaram com certeza
O que queriam era mesmo secar
A fonte de tanta beleza

Mas as sementes foram lançadas
No seio da terram germinam
Quando soarem novas alvoradas
Verás como todas elas se animam

O tempo é só aquilo que é
Tem muito ciclos muitas durações
Haja quem não perca a fé
Nas mentes e nos corações.

Um grande abraço

Se quiseres dar uma saltada ao nosso "cantinho", é só entrar.

Vou ver se consigo ir até ao teu programa.

José António

 
At 12:21 da tarde, Blogger Paula Raposo said...

Um poema daqueles que tão bem escreves, daqueles que tão bem dizes, na tua voz maravilhosa!! Beijos.

 
At 3:17 da tarde, Blogger OrCa said...

E anda por aí
por toda a parte
esse Abril que é tão nosso e querem triste

esse Abril que somos nós
e assim
resiste


Um abraço

 

Enviar um comentário

<< Home