domingo, maio 07, 2006

OUTRAS ÁGUAS

OUTRAS ÁGUAS

(Sobre uma gravura de David Almeida)


Amarás o pássaro
cantando.

Amarás a lua
respirando
sobre o corpo das mulheres
e das cidades.

Amarás a curva delicada
no adeus da folha do salgueiro
a caminho do Outono.

Não hesites.

Ama em cada instante
a música que nasce e nunca voltará.

Este é o teu destino:
branco sobre branco.
Água deslizando
a caminho
de outras águas.

2 Comments:

At 2:15 da tarde, Blogger zmsantos said...

ama enquanto é tempo, enquanto as águas do Estige não te turvarem os olhos...


Gostei do ultimatum.

 
At 11:42 da manhã, Blogger Vasco Pontes said...

Divino

 

Enviar um comentário

<< Home